Só posso agradecer-lhe

Pela vida que me deu

Seu carinho, bondade e zelo

Norteiam os atos meus.

A dedicação, dia após dia

A sabedoria e o sorriso

Aplacando a minha  dor

Foram gestos supremos

De mostrar o seu amor.

Nessa longa caminhada,

lado a lado sem parar

É você doce heroína

Que eu quero homenagear.

Esses olhos tão bondosos 

Escondendo a dor sofrida

É parte dos dias meus

É o incentivo pra vida.

E você, doce heroína,

Com astúcia e ternura

Adubando os sonhos meus 

Fez da vida o caminho

E para ela me fortaleceu.

E por mais que precisasse

De um ombro pra chorar,

Nunca me negou o seu

Quando me punha a clamar.

Você é a paz serena

Que gorjeia ao meu redor

Dando-me a segurança

Que preciso pra chegar.

É o meu firme alicerce

Mulher de fibra e valor

É o pedaço de chão

que me apoio sem temor.

Quero dizer ao mundo

Que hoje, sou por você

Sua raça, brio e valor

Ensinaram-me a viver.

Obrigado doce heroína

Por tudo que por mim fez

E oxalá eu possa ser

Um pouquinho de você! 




Louvado seja  Senhor

Que a conserva até agora.

Louvado seja Senhor,

    Que não a tenha levado embora.

Estes cabelos brancos,

Este olhar, um encanto,

Os gestos cansados...

  O caminhar esgotado.

Mas a grande alegria 

  
Desta vida contida,

Esparrama- se em bálsamo

Florindo minha vida.

Obrigado Senhor,

Mil vezes obrigado

Por me dar a chance

De amá -la  e adorá -la.

E de tê- la ainda junto a mim 

Obrigado Senhor.

Em 10 de abril de 1914, nasceu na fazenda Boa Vista,
em Angustura/MG,

Mary Côrtes Domingues

Parabéns e muitas felicidades

 

Seus filhos, netos e bisnetos

 

 

Poesias de Iza® Copyright © 2003 / Todos os direitos reservados